Saber demais sobre o problema pode ser a razão do problema.

foto-post-16Já parou para pensar de onde surgem as grandes ideias e os famosos insights?! Muitas vezes, quando necessitamos encontrar uma solução para um problema, nós “entramos de cabeça” nele. Pesquisamos horas e horas a fio tentando entender… e mesmo assim não chegamos à solução e ao resultado esperado. Por isso é comum ter insights antes de dormir ou tomando banho: momentos em que estamos muito relaxados são extremamente propícios para encontrar a resposta a problemas e a melhor forma de solucioná-los. Como isso acontece?

Na maioria das vezes ficamos sem saber de onde veio esta ideia, não é mesmo? Ficamos pensando de onde tiramos aquilo e esquecemos que somos nós quem controlamos nossa realidade, mesmo que de forma inconsciente.

Essa nossa realidade é formada por – mais que influências externas – nossos pensamentos, emoções, crenças e percepções. Sendo assim, esta combinação destes elementos nos permitem expressar determinada realidade. Em nosso cérebro, que é bem complexo e vive em trabalho constante durante o dia, existe uma alta atividade elétrica. Essa carga elétrica é responsável pelas ondas cerebrais, que refletem diretamente em nossos estados mentais.

São cinco as frequências cerebrais: Delta (0.5-4HZ), Theta (4-7.5HZ), Alfa (7.5-14HZ), Beta (14-40HZ) e Gamma (acima de 40HZ). Elas são medidas em ciclo por segundo, na escala Hertz (Hz), e mostram um nível de atividade cerebral e um estado de consciência diferente.

Parece difícil, mas você pode até se surpreender: é possível treinar seu cérebro para que esses estados mentais sejam alcançados para se chegar aos resultados que você deseja. Por isso, o autoconhecimento e o entendimento do funcionamento do cérebro são fundamentais nessa empreitada.

Ao aprender e entender sobre os estados de consciência e as frequências cerebrais, é possível conectar  com o  subconsciente e encontrar a  melhor solução!

 

Voltando ao assunto: quando falamos de insight, falamos da quantidade de atividade do nosso córtex pré-frontal. E ele deve estar, digamos, calmo para que surjam as ideias inovadoras. Já comentamos aqui que, para gerar novas ideias, o melhor é ter a mente vazia. Porque as distrações atrapalham as novas conexões, que são necessárias para encontrar a solução de uma questão.

Por isso dizemos que saber demais sobre um problema pode ser exatamente a razão de não encontrar uma solução. Precisamos simplificar. Com muitos detalhes fica mais difícil enxergar a situação com um outro ponto de vista. Quando não conseguimos gerar a nova ideia, o nosso nível de dopamina diminui e é mais difícil evitar as distrações. E, para chegar a tal objetivo é ideal que nosso cérebro esteja no estado Alfa, que é mais meditativo.

Não foque muito no problema. Simplifique: tenha outros pensamentos. Uma boa maneira de compreender um problema é refletir, descrevendo-o em poucas palavras

 

Como entrar em Alfa para criar soluções?

Para chegar ao estado Alfa nós devemos baixar a atividade do córtex pré-frontal. As ondas cerebrais desta frequência se ativam quando estamos relaxando e, geralmente, de olhos fechados. Como nos sonhos ou em uma meditação, que pode ser importante nessa missão. Nesse momento é que é possível programar nossa mente e aumentar a imaginação, a visualização, a aprendizagem e a concentração.

Geralmente usamos o processo mental consciente realizado pelo nosso córtex pré-frontal, o centro executivo do cérebro. O que é preciso muitas vezes não é uma solução lógica e, sim, uma recombinação de mapas mentais, que estão no seu subconsciente.

Alfa simboliza a sua intuição, e ela é mais clara e profunda quando você se aproxima dos 7,5 Hz. Quando temos um insight é porque conseguimos nos concentrar. Olhamos pra dentro, para o nosso interior. É totalmente ilógico e não linear, pois surgem pensamentos que você nem sabia que existiam. Por isso, para alcançar a frequência de Alfa (7.5-14HZ), nossa mente deve estar bem tranquila.

Um ambiente positivo, onde todos estão seguros e à vontade, com bom humor, é importante e propício para obter os insights e simplificar, de fato, os problemas

É totalmente possível, com o conhecimento sobre o funcionamento do cérebro, conscientizar a cada um da equipe a mudar o comportamento para encontrar soluções dentro do ambiente de trabalho. Com a máquina habilitada e pronta para ter os insights, o desempenho de cada um ficará melhor e os resultados da equipe como um todo, também. Para isso é extremamente necessário um trabalho em equipe que estimule a criatividade, através de um ambiente e ações que facilitem isso.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *