Medo e Interesse aumentam performance

foto-post-15O que é capaz de estimular e engajar a equipe no trabalho? Quais ferramentas podem, de fato, extrair o máximo da performance de cada pessoa no ambiente corporativo? Você pode se surpreender, mas a pessoa dá o seu melhor quando é exigida: ser pressionada para alcançar maiores resultados, desde que na dose certa, é muito necessário.

Trabalhar sob pressão libera mecanismos no cérebro humano. Tecnicamente falando, são os neurotransmissores que facilitam o trabalho do córtex pré-frontal quando ele precisa realizar uma ação que demanda esforço e concentração. São duas maneiras principais para estimular esta liberação: ou por INTERESSE pela tarefa ou por MEDO do cenário futuro.

Digo isso, pois, ao enfrentar algumas situações – como crise ou reestruturação da empresa, por exemplo -, liberamos a adrenalina, que promove uma reação fisiológica. Isso significa enfrentar a situação citada ou, até mesmo, encontrar outra saída. O mesmo acontece quando somos colocados para executar tarefas que gostamos.

O interesse pela tarefa, assim como o medo, nos coloca em estado de alerta, e são importantes para estarmos preparados para manter a concentração

Pode parecer exagero, mas não é! De acordo com os estudos sobre funcionamento do cérebro, ambientes desafiadores estimulam a criatividade e o desenvolvimento das habilidades e competências das pessoas. Desde que NA DOSE CERTA.

No início do século 20, em 1908, os psicólogos Robert Yerkes e John Dodson fizeram um experimento relacionando à capacidade de performance que eles chamaram de Inverted U. Eles descobriram que a performance era baixa com pouco nível de estresse, ótima com um bom nível de estresse e, com alto nível de estresse, era baixa novamente. Podemos dizer, então, que a pressão no trabalho é necessária para alcançar bons resultados.

Isso significa que a produtividade tem relação direta com o nível de dopamina e noradrenalina produzida no dia a dia – geralmente associado à pensamentos sobre a tarefa. Mas cuidado: cada pessoa reage de uma forma com a pressão que lhe é imposta. Se o líder ultrapassar este nível, a chance da produtividade cair é imensa e pode acarretar em inúmeros problemas à empresa e às pessoas que nela trabalham.

É aí, neste momento, que entra o papel do líder e do gestor de equipes. É de suma importância conhecer de fato a equipe que tem em mãos. E este conhecimento vai ajudar a encontrar a melhor forma de estimular e engajar cada um dos colaboradores.

Encontrar o nível de pressão adequado para cada pessoa atingir a alta performance é papel do líder de equipe

E isso é um exercício bem interessante, enquanto seres humanos que somos, temos nossas individualidades. Alguns têm mais ou menos resiliência, por exemplo.  Outros têm mais ou menos habilidade nas tarefas que está realizando, seja por tempo de empresa ou outro motivo.

O que podemos tirar desta situação é entender que todos precisam ser estimulados na medida certa. Já percebeu que, quando estamos relaxados demais acabamos não prestando atenção a muitos detalhes? Quando estamos muito entusiasmados também acontece a mesma coisa, pois as trocas de informações e nossas sinapses estão muito intensas.

Por isso, tente, em seu dia a dia, observar sua equipe e o seu próprio nível de concentração para realizar as tarefas que precisa. Você está focado, ansioso? Distraído?

Provoque o próprio medo, tente observar o cenário futuro e imaginar o que de ruim pode acontecer. Instigue seu interesse pela tarefa. É um excelente exercício, para você e para sua equipe, para aumentar a performance diariamente.

Compartilhar...Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInPin on PinterestShare on TumblrShare on Yummly

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *